27 de fevereiro de 2016

Neste dia...#58

27 de Fevereiro


  • Espanha declarou guerra a Portugal, no âmbito da aliança com a França de Napoleão Bonaparte, em 1801;
  • Fundação do Bayern de Munique, em 1900;
  • Índia apresentou a Oliveira Salazar a primeira proposta de negociação para a reintegração dos territórios de GoaDamão e Diu na União Indiana. A proposta foi recusada, em 1950;
  • Foi realizada a primeira reunião da ONU na sua sede permanente em Nova York, em 1952;
  • Em Portugal foi aprovada a construção do Complexo Petroquímico de Sines, em 1975;
  • A Presidência, a Assembleia e o Governo da República Portuguesa repudiaram o pedido do dirigente líbio Muammar al-Gaddafi para a independência da ilha da Madeira, considerada pela Organização de Unidade Africana como pertencendo a África, em 1978;
  • Termina o restauro de seis anos da Fragata portuguesa Dom Fernando II e Glória, no Arsenal do Alfeite, em 1998;
  • Terremoto de magnitude 8,8 Mw atinge a região central do Chile, fazendo pelo menos 802 mortes e é lançado alerta de tsunami em todo o Oceano Pacífico, em 2010.

Estão de Parabéns: (ou estariam)
  • João de Castro, cartógrafo e administrador colonial português, nascido em 1500 (faleceu em 1548);
  • Joan Bennett, actriz norte-americana, nascida em 1910 (faleceu em 1990);
  • Elizabeth Taylor, actriz britânica, nascida em 1932 (faleceu em 2011);
  • Armando Baptista-Bastos, escritor português, nascido em 1934;
  • Pedro Chaves, ex-automobilista português, nascido em 1965;
  • Josh Groban, cantor norte-americano, nascido em 1981.

(Informações daqui...)

Imagem do dia


Palácio de Massandra perto de IaltaCrimeia.

Beijinhos da Miúda*

2 comentários:

  1. Wow super interessante! Adorei!
    The-not-so-girlygirl.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Miúda.... excelente informação que tem peso histórico impressionante.....
    Essa guerra e essa aliança foram benéficas ao Brasil.
    Em 1808, a França quis invadir Portugal e a Família Real veio para o Brasil, e houve a abertura dos Portos brasileiros às nações amigas (principalmente à Grã Bretanha), que foi promulgada por meio de uma Carta Régia, pelo príncipe regente, D. João, em 28 de janeiro de 1808. O decreto foi assinado quatro dias após a chegada da Família Real e da Corte portuguesa a cidade de Salvador, na Capitania da Baía de Todos os Santos. A antiga sede da Colônia foi a primeira escala da esquadra, que tinha como destino a cidade do Rio de Janeiro (sede da Colônia).
    A transferência da família Real e da Corte portuguesa para o Brasil foi motivada pelo avanço das tropas de Napoleão em direção a Lisboa, em meio a Guerra Peninsular.
    Antes da abertura dos Portos, os produtos que saiam do Brasil passavam, obrigatoriamente, pela alfândega em Portugal, assim como os produtos importados a serem enviados para a Colônia. O Pacto Colonial garantia a Portugal o monopólio do comércio exterior da Colônia. Nada se comprava ou vendia na Colônia sem passar antes por Portugal.

    A decisão de D. João foi festejada pela população por anos, apesar de tal decisão, na verdade, ter sido tomada por necessidade e conveniência. Com a transferência da Família Real para o Brasil, e com Portugal nas mãos de Napoleão, o comércio com os demais países precisou ser feito sem intermediários. Mesmo porque, a família Real estava falida, e sua sobrevivência dependia da venda das riquezas extraídas e produzidas em solo brasileiro.

    Nesse mesmo ano, outra medida foi festejada pela população, sobretudo pelos comerciantes locais. Em 1º de abril, D. João assinou um alvará que revogava um antigo, de 1785, que proibia a instalação de manufaturas na Colônia.

    Por dois anos, os Estados Unidos foram os maiores beneficiados pela abertura dos portos. No entanto, em 1810, Portugal e Grã Bretanha assinaram o Tratado de Cooperação e Amizade (oficialmente “Treaty of Cooperation and Friendship”), que continha regras de aliança e amizade, e de comércio e navegação. Com esse tratado, a Grã Bretanha passou a ser o país mais beneficiado pela abertura dos portos brasileiros, inclusive no que diz respeito às tarifas alfandegárias.

    A abertura dos Portos no Brasil, assim como o Tratado de 1810, com a Grã Bretanha são um marco na história do liberalismo econômico.

    Esse foi o primeiro passo para que o Brasil deixasse de ser Colônia de Portugal, o que foi oficializado em 1815, quando o Brasil foi elevado à categoria de Reino Unido a Portugal e Algarves. 21 e

    ResponderExcluir

Real Time Analytics