3 de junho de 2016

E se fosse contigo?


Não foi para o programa... Antes tivesse sido.
Não foi algo para testar a reacção das pessoas que iam passando... Antes tivesse sido.
Não... Aconteceu mesmo...



Tenho andado com bastante trabalho, de cabeça cheia e pouco tempo para escrever tudo o que me vai na cabeça e na alma. Mas cá estou...

Terça-feira (31 de Maio), por volta das 19h, a minha melhor amiga (V.) , irmã, aquela pessoa que escolhemos para fazer parte da nossa família sem qualquer laço de sangue, foi agredida...

Antes de ir treinar, resolveu ir fazer uma caminhada junto a praia, até que se aproxima uma rapariga a pedir socorro e para ela ligar para a polícia, pois tinha alguém que lhe queria bater.
A rapariga parou junto da V. e ela tentou acalma-la, de seguida aproxima-se um homem a rondar os seus trinta e muitos anos (desconhecido para ela e para a rapariga que vinha a pedir socorro) e disse para ela se afastar, para não se meter que não era nada com ela. A V. disse para se acalmarem que não era necessário confusão...

O fulano bateu-lhe, empurrou-a, e ela caiu desamparada para as rochas...
Partiu o braço... Nódoas negras pelo corpo... Arranhões...
Na queda tinha-se agarrado a mala que o fulano tinha, e o mesmo para a recuperar, foi até ela caída e sacou de dentro da mochila, de um ferro para lhe bater, mas sem saber como, consegui defender-se, e ele acabou por bater com o ferro na cara da outra rapariga... E fugiu...

Acabaram por chamar o INEM...
Vão ambas apresentar queixa, pois alguém conheceu o fulano...
Até hoje... Não tiveram qualquer abordagem policial sobre o sucedido.

V. tem o braço partido, no hospital encaminharam-na para um mais próximo da sua residência e ainda não sabe se terá de ser operada ou não.

Perguntam vocês: (como certas pessoas já perguntaram)
Porque ela se meteu? Porque não passou e andou?

1º A rapariga é que a abordou...
2º Provavelmente sem abordagem, ela teria tentado apaziguar na mesma a situação.
(eu faria o mesmo...)

Dizem vocês: (como algumas já disseram)
Então é porque gostou...
Se não se metesse não acontecia nada disso...

Pois se calhar não...
Se calhar quem fala, não sabe o que é ser agredido na rua por pessoas que nem sequer conhecem... eu sei... eu já fui agredida também... (contarei noutro post, um dia destes...)

E se fosse uma amiga, uma irmã, uma mãe, qualquer pessoa conhecida sua, também não gostariam que houvesse uma "V." lá que pudesse tentar amenizar as coisas?
Oxalá não precisem, em qualquer situação, que haja uma "V." para eles... Como houve a V. para a rapariga a pedir socorro.


Beijinho da Miúda*




21 comentários:

  1. Não entendo porque, cada vez há mais violenta!
    Os nosso amigos/as, tentamos sempre proteger, ajudar fazer tudo o que o coração nos pede. Gostei de ler.

    Bjocas, fim de semana feliz :*

    Prazeres e Carinhos Sexuais


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cada vez as coisas ficam piores em vez de melhorarem.

      Excluir
  2. Eu falo por mim, se fosse comigo, eu também me teria metido e tentado ajudar!
    Agora a situação de a polícia ainda não ter dito nada, é estranho...

    ResponderExcluir
  3. Que situação horrível! Eu conheço-me e sei que me ia meter, o que assusta, porque às vezes queremos ajudar e sobra para nós...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Por isso há cada vez menos pessoas que tentam ajudar.

      Excluir
  4. Que chocante!!! Não consigo compreender como as pessoas conseguem ter são monstruosas.
    Eu apenas apoiaria ela e ficaria junto.

    Abraço profundo em vocês.

    ResponderExcluir
  5. Boa tarde, comer e calar é falta de dignidade, sim...deve-se agir sempre em prol dos mais fracos ou dos que estão em desvantagem, assim seremos justos com a nossa consciência, eu tomava a iniciativa de agredir sem dó nem piedade o agressor.
    Não acredito mas sempre ouvi dizer que, "o trabalho dá saúde" assim sendo, continue com muito trabalho.
    Bom fim de semana,
    AG

    ResponderExcluir
  6. Sem dúvida que a sua amiga fez muito bem em ajudar a outra rapariga. Mostrou ter um bom coração e uma alma solidária. Infelizmente existem homens que de humanos pouco ou nada têm. Sem conhecer o caso na sua vertente mais verdadeira, visto que que conta um "conto", aumenta um ponto, permito-me dizer desse individuo: CANALHA.

    Deixo o meu lamento e as melhoras das meninas agredidas...

    ResponderExcluir
  7. Quem faz essas perguntas e diz "entao é porque gostou"....tem um problema também...
    Nunca fui agredida dessa maneira, e deve ser horrivel....há pessoas que só vivem para violência, até metem nojo...
    Desejo as melhoras e que a policia se mexa e se faça justiça...

    Beijinhos,

    http://chocopink89.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  8. Que horror! Eu teria feito o mesmo que a tua amiga independentemente do resto, mas correu bastante mal. Só espero que o apanhem...

    ResponderExcluir
  9. Acho que está nas mãos dos parlamentares. Por vezes dá mau resultado interferir até as autoridades que não tem poder nenhum. Sinais do tempo.
    Abraço

    ResponderExcluir
  10. Não sei se tinha coragem para agir como a tua amiga agiu, mas essas coisas acontecem sempre tão rápido que nem sempre temos tempo para pensar.
    A meu ver a questão mais pertinente não se a tua amiga agiu bem ou mal, a questão aqui é a demora e os aparente problemas que as autoridades estão a ter para dar uma resposta relativamente a esta situação!

    Bjxxx
    Ontem é só Memória | Facebook | Instagram

    ResponderExcluir
  11. Não sei se é a nossa cultura mas há muito aquela cena de entre marido e mulher não se mete a colher, mas como é que é possível... ignorar a violência?

    Espero que tenhas um bom fim-de-semana... Aproveita!
    Beijinhos*

    ResponderExcluir
  12. Tenta-se ajudar e dá nisso...é lamentável...


    Isabel Sá
    Brilhos da Moda

    ResponderExcluir
  13. Eu só consigo admirar a tua amiga porque não fingiu que não viu. Infelizmente para ela, correu mal, mas a verdade é que NÃO PODEMOS fechar os olhos a esta realidade!!

    ResponderExcluir
  14. Mas que situação! Claro que se fosse comigo que me metia e tentar ajudar!
    http://annahandtheblog.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  15. o que a tua amiga fez foi ajudar e é assim que devmos fazer, ajudar os outros. é verdade que nem pensamos no que poderá acontecer mas devemos ajudar acima de tudo. é triste o fim que teve mas ela ajudou a moça

    ResponderExcluir
  16. dado que fui vítima de violência doméstica, teria outra abordagem ao fulano. Dizia logo que eu já me tinha tornado numa potencial testemunha e que ele se afastasse rapidamente (tudo aos gritos), se ele me empurrasse, vinha comigo, treinar Krav ainda me ensinou algumas coisas, como não ter medo desses monstros que batem nas pessoas que dizem amar. Espero mesmo que as queixas sigam e que seja punido.

    ResponderExcluir

Real Time Analytics