17 de março de 2021

#9 Hoje Quem Escreve Sou Eu...

 Marta - O Meu Canto


A Miúda convidou-me para participar nesta rubrica e eu, sem saber ainda sobre o que falar, aceitei o convite, que desde já agradeço.

Depois, dei por mim a pensar que o mundo é pequeno porque, apesar de os nossos blogs estarem em plataformas diferentes, estamos muito perto uns dos outros, acabando por minimizar essa distância.
E, daí, surgiu o tema, e o texto que se segue!




“O mundo é pequeno.”

É pequeno porque, no meio de toda a sua vastidão, ainda assim, acabamos por nos cruzar, inesperadamente, com alguém que conhecemos, e que nunca esperaríamos ver.

É pequeno porque, apesar do seu enorme tamanho, e da distância entre cada um de nós, conseguimos estar muito perto uns dos outros, e diminuir a distância que nos separa.

É tão pequeno, que conseguimos ver muito além do nosso campo de visão, do nosso horizonte.

E, ainda assim, um mundo tão grande, que se torna (e tornamos) tão pequeno, consegue transformar-se num mundo gigante.

Onde, muitas vezes, parecemos estar tão longe, tão afastados, tão distantes uns dos outros, como se não fosse possível alcançarmo-nos.

Um mundo tão gigante que nem conseguimos observar tudo aquilo que está perto de nós.

Um mundo onde não conseguimos encontrar aquilo/ aqueles que desejamos, por mais que procuremos.

Quando, afinal, tudo/ todos estavam mesmo ali, à nossa frente.


***************


A Marta, é uma Blogger dos blogs do sapo, uma de alguns que vou seguido, apesar de ser uma plataforma diferente como ela referiu, eu gosto de ir por ai e ler as palavras de outras pessoas que tal como eu gostam deste mundinho e por cá vão permanecendo, uns mais assíduos que outros, mas não deixa de ser o "mesmo" mundo.

Obrigada Marta mais uma vez...


Já conheciam a plataforma do sapo certo?
E a Marta já conheciam?

Beijinhos da Miúda*

10 de março de 2021

#8 Hoje Quem Escreve Sou Eu...

 Jovita Capitão


Olá a todos. O meu nome é Jovita Capitão e sou a autora do blog Rainha das Insónias.

Tenho uma confissão a fazer: hoje, de facto, não sabia o que havia de escrever. A Miúda convidou-me com tanto entusiasmo que não a queria desiludir de forma alguma. Então, andei literalmente com a cabeça à roda com tantas palavras possíveis de serem ditas, mas as frases não me soavam bem.

Foi então que decidi brindar a Miúda com um poema que tivesse realmente a ver com ela. É simples, mas espero que gostem.

 

Sempre miúda

 

Sempre miúda.

Sempre ligeira.

A par e passo

com a brincadeira.

 

Sempre miúda.

Alegre e singela.

De sorriso luar

e boca beringela.

 

Sempre miúda.

Mas também mulher.

Uma alma nobre

que sabe o que quer.

 

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.


***************


E não é que quem acabou surpreendida fui eu?

Pois é, quando convidei a Jovita Capitão, nunca pensei que ela fosse criar o post para a minha pessoa...

Até porque só li o texto quando foi para criar esta publicação.

Sem sair da sua forma de escrever  cá está um texto simples mas tão, tão bonito :)


Já conheciam a Jovita??


Beijinhos da Miúda*


3 de março de 2021

#7 Hoje Quem Escreve Sou Eu...

Cidália Ferreira


 "A simplicidade e a honestidade fazem de mim a pessoa que sou, transparente e muito amiga do meu amigo...vivendo um dia de cada vez. Gosto de escrever o que sinto em cada momento da minha vida. 

Os sentimentos, pensamentos, formas de sentir, por vezes nostálgicas. Mas sempre aclamando pelo meu…eu… Daí encadear ideias, vaguear entre as palavras, frases, versos, rimas transferindo essas para o papel, onde se transformam em poema, não mais que um estado de alma, no momento em que lhe dou vida. 

Sou eu : Cidália Ferreira"

"Porque sou pessoa que escreve com o coração, muitas vezes puros estados de alma, daí identificar-me com muita da minha escrita. 

Quando escrevi este poema - "ontem à noite" -, lembrei-me que seria este, que seguiria para o teu blogue, por ter um pouquinho de mim. Parece que me leste o pensamento. Foste mesmo ao ponto do meu eu. Obrigada"



 "Sou feita das várias tempestades"

 ****

Identifico-me das várias maneiras
Como o tempo que muda de repente
Neva, chove, sopra o vento
Mil sentimentos num só coração
Para tantos dias sem barreiras
Onde tudo pode ser tormento
Ou simplesmente lições de vida
*
Lamento...sinto que o mundo se isolou
Quando da janela observo, e ninguém
Apenas o tempo invernoso
Nos pensamentos que torturam
Por tudo o que a vida já levou
Deste mundo tão penoso
Deixando no sentimento, a revolta
*
Sou feita das várias tempestades
Sou amiga, hábil, sou revolução
Sou a fúria, ou a calma do mar
Dou a mão, dou amizade sincera
Enfrento tantas outras adversidades
Sou a razão dos verso por declamar
Sou eu...Dona dos meus estados de alma


****************

Este foi o Post da Cidália que quando viu a minha publicação sobre esta minha nova rubrica se mostrou interessada em participar, e que bem que ela escreve...
No dia em que me enviou este poema ela tinha-o colocado no seu cantinho e eu comentei dizendo que me identificava com a parte em que ela diz:

"Sou amiga, hábil, sou revolução
Sou a fúria, ou a calma do mar
Dou a mão, dou amizade sincera"

E ela achou por bem partilha-lo aqui comigo novamente e com vocês :)

Já conheciam a Cidália? 
O que acharam?

Beijinhos da Miúda*

24 de fevereiro de 2021

#6 Hoje Quem Escreve Sou Eu...

 Lápis Roído


Bem, para começar, devo dizer que esta participação foi extremamente bem paga pela Miúda. Devem, portanto, pedir um cachet bem alto pela participação em espaços futuros, assim à imitação de um ex-concorrente do Big Brother numa discoteca ou de uma velha que troca a presença num programa da tarde por doses industriais de Calcitrin.

Posto isto, e a muito custo, passo a apresentar-me. Lápis Roído, um vosso patrão, que para criados estão cá vocês. Jovem de porte imponente, inteligência absolutamente fora do comum e modéstia em semelhante nível, sou amigo do meu amigo, vivo o dia-a-dia (carpe diem, babes!(, aprecio muito a sinceridade e a honestidade nos outros. Hã? Continuo a cumprir o padrão de concorrente no Big Brother? Estou a ir bem, apesar das duas referências a esse belo reality-show em poucas linhas.


Arcadefireano militante, político em ascensão que ambiciona a presidência da Junta de Freguesia de Vale de Palhaços no imediato e a da Câmara Municipal de Vila Nova de Cabra Coxa no auge da carreira. Ocupo os tempos livres a jogar mikado com ornitorrincos e a palitar os dentes ao meu unicórnio de estimação, o Tufão.

Dizem que tenho um blog chamado Contra Chatos Não Há Medicamentos, embora ainda subsistam dúvidas quanto á autoria dos posts. É assim em estilo aura de mistério como a autoria d’O Meu Pipi. E por esta referência á literatura porcalhota-brejeira do início do século podem perceber o quão idosa esta alma é.

Bem, e porque o dinheiro tem limites (assim como a parvoíce…), por aqui me fico. Se mais quiserem saber acerca deste cidadão incrível, perguntem á Miúda. Ela está mandatada para falar maravilhosamente acerca da minha pessoa… ou não!


***************


Bem... Que posso eu dizer sobre o Sr. Lápis... já que referiu um cachet não me vou pronunciar até receber a minha parte no que conta a falar maravilhosamente bem dele :p


Mas brincadeiras colocadas de lado, Contra Chatos Não Há Medicamentos é um blog que sigo sempre que por cá ando, exceto nas fases que estou ausente que isso nem no meu apareço :p


Quem já o conhecia???

Quem não conhecia, aproveite e passe conhecer :)


Beijinhos da Miúda*


17 de fevereiro de 2021

#5 Hoje Quem Escreve Sou Eu...

 O Último


Antes de mais agradeço à Sempre Miúda pelo simpático convite para escrever no seu cantinho.

Para este post escolhi falar de algo que em miúdos não valorizamos, mas para o qual mudamos de postura quando chegamos à idade adulta.

Uma situação é a nossa relação com os legumes. A outra com o desporto.

Começo pelos legumes. Seja por birra, seja pelo aspeto ou sabor menos apelativo fugia do verde enquanto criança. Podia falar também do peixe ou da salada :)A minha mãe colocava-os na sopa e aí não havia fuga possível. Quando cheguei à idade dos crescidos, percebi a sua importância quando fui avisado pela nutricionista na primeira vez que entrei num ginásio já com uns 23 anos. Aliás, nessa vez descobri que cometia tantos erros.. A partir daí e até hoje passei a incluí-los na alimentação.

A outra coisa é o desporto. Detestava as aulas de educação física e andei vários anos na natação porque os meus pais assim mo obrigavam. Quando comecei a trabalhar, com a vida mais sedentária e com o stress comecei a engordar e inscrevi-me num ginásio. Daí em diante, comecei a praticar desporto com frequência e hoje faz parte do meu equilíbrio físico e emocional.

Assim, há coisas onde não somos sempre miúdos, mas no bom sentido :)


***************


Eu sempre fui como o Último... o pior é que ao contrário dele, eu ainda continuo a fugir :(

Não gosto de certos e determinados legumes, para não dizer, a maioria deles...

E desporto infelizmente com a preguiça aliada ao cansaço de ter 2 empregos não arranjo tempo, pois o tempo que me "sobra" opto por descansar.


E vocês também eram ou são assim???

Já conheciam o Último?


Beijinhos da Miúda*


15 de fevereiro de 2021

Para sorrir... #1

 ... Ou até mesmo gargalhar :)



Quem se lembra destes senhores?
Quem via?

Beijinhos da Miúda*



10 de fevereiro de 2021

#4 Hoje Quem Escreve Sou Eu...

 Isabel


Saldos? Sim, se forem para dar nova vida à roupa e se forem online!

Pois é, venho fazer um "apanhado" do primeiro ano a vender roupa em 2ª mão, online.

Consegui reunir mais de 60 peças para venda, ao longo de 2020. (o que faz pensar e bem, no consumismo, isto num ano em que, ao estar sempre em teletrabalho, mudei muito a minha relação com a roupa).
De todas essas, 47 foram aceites pela Micolet para venda, e já 29 peças arranjaram nova dona e foram viver uma nova vida.

Fico contente mais do que pelo dinheiro que ganhei - cerca de €45, no total - fico contente por sentir que não desperdiço roupa quase nova, que não a tenho a ocupar espaço, e que me frustra quando olho para ela lá, pendurada, sem uso.

Como quem me segue há mais tempo sabe: primeiro ofereço roupa às amigas, depois separo e passo o possível à sacristia (quando se aplica) e estas foram as peças que, considerando todas as hipóteses, acabei por colocar à venda.
 
Vender não é algo que acontece todos os dias, nem sequer todas as semanas. Já acabei até a juntar roupa de amigas e daí ter tantos tamanhos e marcas disponíveis no meu guarda-roupa online.
Mas é uma pequena ajuda e, neste contexto de pandemia, é algo que vos convido a espreitar, a pensar e a considerar para o vosso futuro.



A roupa é um dos maiores desperdícios da nossa sociedade e que mais afeta o meio-ambiente.

O ser sustentável não têm que acontecer só na alimentação, nos utensílios da casa, na cosmética.

Pode e deve acontecer também no pensamento de economia circular nas roupas, calçado e livros, por exemplo.

Se estão com saudades de ir aos saldos, ou de espreitar peças de roupa que valem a pena, considerem os meus saldos online.

*post não patrocinado


Beijinho e boa semana,

Isabel

                                         ***************


A Isabel é uma blogger que sigo também sempre que ando pela blogosfera, mesmo depois das minhas ausências.

Pertence aos blogs do sapo e não é por pertencer a outra plataforma que não podem lá ir dar uma espreitadela... Aproveitem e muitas das vezes fiquem só a babar para as coisas deliciosas que ela publica :)


Já conheciam a Isabel - Contos da Menina-Mulher ???


Beijinhos da Miúda *


Real Time Analytics